LEVI.COM.BR - PAG.PRINCIPAL
CLIQUE AQUI PARA SE ASSOCIAR!
CLIQUE
AQUI
PARA SE
ASSOCIAR!
HOME TEOSOFIA PALESTRAS ASTROLOGIA NUMEROLOGIA MAÇONARIA CRISTIANISMO ESOTERICA.FM MEMBROS



A ESOTERICA.FM É PATROCINADA
PELOS ASSOCIADOS DA LEVIR

  • ESOTERICA.FM
  • TEOSOFIA
  • PALESTRAS
  • LIVRARIA
  • ASTROLOGIA
  • NUMEROLOGIA
  • MAÇONARIA
  • CRISTIANISMO
  • TELEMENSAGENS
  • TEXTOS EM INGLÊS
  • MEMBROS
  • INDIQUE-NOS
  • FALE CONOSCO

    LIVROS
    RECOMENDADOS

    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    NãO Há OUTRO CAMINHO A SEGUIR




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    O MESTRE PERFEITO E SEUS MISTÉRIOS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    LUX ESOTERICA - CHAVE DA TEOSOFIA




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    FUNDAMENTOS DE TEOSOFIA




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    MAÇONARIA SIMBÓLICA




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    REVELAÇÕES SECRETAS DA RELIGIÃO CRISTÃ (AS)




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    AUTOCULTURA À LUZ DO OCULTISMO




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    RAJA YOGA




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    SONHOS, OS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    OS SETE TEMPERAMENTOS HUMANOS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    VIDA E MORTE DE KRISHNAMURTI




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    PODER TRANSFORMADOR DO CRISTIANISMO PRIMITIVO,O




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    MISTÉRIOS DO KARMA E A SUA SUPERAÇÃO (OS)




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    GRAU DO MESTRE ELEITO DOS NOVE




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    GRAU DO MESTRE MAÇOM E SEUS MISTÉRIOS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    O MESTRE PERFEITO E SEUS MISTÉRIOS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    LEIS DO CAMINHO ESPIRITUAL




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    12 SEGREDOS SIMPLES DA FELICIDADE




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    PÉROLAS DE SABEDORIA




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    SIMBÓLICA MAÇÔNICA (A)




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    AS CENTÚRIAS DE NOSTRADAMUS COMENTADAS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    PEQUENA HISTÓRIA DA MAÇONARIA




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    AS CENTÚRIAS DE NOSTRADAMUS COMENTADAS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    AS CENTÚRIAS DE NOSTRADAMUS COMENTADAS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    VOCÊ COLHE O QUE PLANTA




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    LUX ESOTERICA - OS MESTRES E A SENDA




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    VOCÊ COLHE O QUE PLANTA





    VEJA A
    RELAÇÃO
    COMPLETA
    DE LIVROS



    FALE CONOSCO!


    INDIQUE ESTA PÁGINAINDIQUE AQUI
    Indique Esta Página para seus amigos!

  • De: "Jeronimo"
    Data: Qua Jan 17, 2001 3:55 pm
    Assunto: Os Rosacruzes e a Música Barroca


    Os Rosacruzes e a Música Barroca


    João Sebastião Bach


    Bach, Rosacruz.A influência física do som. Uso do som na liturgia durante a Idade Média. Secularização da música. A Fama Fraternitatis. Simbolismo numérico na obra de Bach. Estudo da "Oratória de Natal", "Paixão Segundo S. Mateus,",das "Invenções" e das "Sinfonias".


    João Sebastião Bach e os Rosacruzes

    O som tem uma influência física tão importante como a intelectual, emocional ou espiritual. O corpo reage, comprovadamente, a certas ressonâncias, timbres e ritmos. A Igreja, na Alta Idade Média, já conhecia esse poder. Usou-o para provocar reacções definidas nos crentes .

    Com a secularização da música, também a cultura, antes confinada aos conventos, alastra para o domínio popular. A música dirige-se, então, cada vez mais, aos conhecedores, em contraste com a música sacra destinada à multidão ávida de satisfações religiosas, mais do que estéticas e intelectuais.

    A secularização da música, inicia-se com os trovadores e atinge o seu ponto máximo com as oratórias de João Sebastião Bach e na música de Heindel.

    Vitalidade e Rigor

    A missão espiritual de Bach era a de promover a união do intelecto com a alma. O notável rigor matemático da sua música apela ao intelecto enquanto que a façanha musical desperta os poderes da alma contrariando a tendência materialista do ocidente .
    Bach viveu no período histórico a que podemos chamar "período rosacruciano", entre a Renascença e a pseudo-revolução científica do século XVIII. Não ficou alheio à influência rosacruz e tornou-se, parece evidente, um dos seus membros . Bach comunicou esta filiação à maneira barroca, em código, segundo a tradição . De facto, o primeiro voto do iniciado é o do silêncio.

    Nenhum verdadeiro irmão se intitula, publicamente, "Rosacruz" e, por isso, aquele que se proclama publicamente um deles, já por esse facto o não é.

    Os iniciados, e só eles, conhecem aqueles que, no passado, foram rosacruzes, porque nas suas obras brilham inconfundíveis sinais, palavras e frases indicadoras dessa ligação com a Fraternidade, embora estejam ocultas aos profanos .

    Vamos então seguir o fio de Ariadne e percorrer o labiríntico esquema de algumas das suas obras para encontrar a comunicação que procuramos.

    A "Fama Fraternitatis"

    A Fraternidade revelou-se publicamente em 16l4, com a edição de um documento como título "Fama Fraternitatis (Ecos da Fraternidade) da Mui Louvável Ordem dos Rosacruzes". A sua autoria é atribuída a J. V. Andreia.

    Nesta obra descreve a vida de Cristão Rosacruz (Christian Rosenkreutz), que funda a Fraternidade Rosacruz. Explica como Pai Rosacruz foi sepultado, depois de abandonar o corpo físico e como a sociedade dos Rosacruzes devia permanecer secreta durante 120 anos.

    Quando se deu início à transformação do templo, os Fraters arrancaram da parede uma placa de latão, revelando uma porta secreta, com a inscrição Post CXX annos Patero (depois de 120 anos serei aberta) .

    Esta porta dava acesso a um templo com sete lados, em abóbada, com inscrições de símbolos conhecidos.

    No meio do recinto havia um altar redondo com diversas inscrições. Numa delas lia-se: "ACRC Hoc Universi Compendium Vivus Mihi Sepulchrum Feci" (Em vida dei para mim, como túmulo, este resumo do universo).

    A Tradição Hermética

    Bach usou a linguagem cifrada dos números em toda a sua obra. Segundo a tradição, a origem, a ordem, a harmonia e a influência dos céus podem ser explicados por meio de certas operações baseadas no valor numérico das letras.

    Cada letra, além do valor numérico, encerra também uma ideia porque a palavra e o número conjugados, segundo os cabalistas, são os instrumentos por meio dos quais Deus chamou o cosmo à existência.

    Quer dizer, os números não podem ser entendidos apenas como meios úteis para ordenar logicamente o universo, mas também como símbolos do Absoluto.

    Assim, de acordo com a regra talmúdica, cada letra tem um certo valor numérico. Com base nesta equivalência Bach escreveu a sua obra segundo um esquema lógico que não pode ser nem jogo intelectual nem simples coincidência .

    A Obra

    Autor de vastíssima obra, incluindo canções, danças, missas, etc., Bach recorre à ambivalência do véu, que é ao mesmo tempo transparente e opaca, para revelar a sua filiação na Fraternidade Rosacruz.

    O primeiro véu foi tecido determinando o valor numérico do seu próprio nome: Bach (A=1, B=2, etc.) Como era hábito na altura, o "J" tinha o mesmo valor que o "I" e o "U" o mesmo que o "V". O resultado é 14. Vai usar este número com frequência.

    A Oratória de Natal tem 14 coroais e 14 árias. Na Paixão Segundo S. Mateus, Cristo "canta" em 14 recitativos, etc.

    No segundo véu faz a ligação entre o seu nome e o de Christian Rosenkreutz (Cristão Rosacruz), usando, também, os valores numéricos equivalente. 97 é o valor da palavra Christian (Cristão) e 155 corresponde a Rosencreutz (Rosacruz), somando 252.

    Usou este número simbólico num certo número de obras para instrumentos de teclas. O autor chamou "Invenções" a um grupo dessas obras. São 15 peças em 2 partes ou "vozes". A um segundo grupo chamou-lhes "Sinfonias". São mais 15 peças, a "3 partes".

    As sinfonias estão escritas em vários tons. As mais importantes começam com C (dó) maior (a 1ª sinfonia) , C (dó) menor (a 2ª sinfonia); D (ré) maior (a terceira), etc.

    Neste grupo há partituras escritas com os mesmos tons e pela ordem com que o autor escreveria o seu nome: BACH, isto é,

    B A C H
    Si la do si (bemol)

    Contanto o número de todos os compassos destas quatro partituras observamos que: a Sinfonia nº 14 em B sustenido tem 24 compassos; a n.º 13 em A bemol tem 64; a n.º 2 em C bemol tem 32 e a n.º 15 em H bemol tem 38.

    A soma dos compassos destas quatro partituras é 158, que é o valor numérico do seu nome: Johan Sebastian Bach.


    No grupo das "Invenções" também existem peças com os mesmos tons. O número dos seus compassos é o seguinte: 20, 25, 27, 22, somando 94. A adição de 158 + 94 dá como resultado 252, que é o valor numérico do nome de Cristão Rosacruz, em língua alemã!

    A Antiguidade Clássica reconhecia a existência de uma realidade superior, habitada por energias invisíveis. Partindo do homem, que ela colocava naturalmente no centro, o universo era dividido num ternário de manifestação.

    Bach segue uma evolução idêntica. Parte do auto-conhecimento, da sua profundeza, da interioridade, para a transcendência. Tece, finalmente, o terceiro véu, baseando a estrutura de algumas obras no valor numérico da frase-chave encontrada no templo onde estava o túmulo de Cristão Rosacruz.

    O valor numérico das palavras desta frase é: ACRC, 24; Hoc, 25; Universi, 111; Compendium, 107; Vivus, 87; Mihi, 38; Sepulchrum, 129; Feci, 23. Soma: 544, que é a soma do total dos compassos das 15 sinfonias.

    Na Oratória de Natal e no Magnificat, entre outras obras, Bach associa o número 544 a outros que, vamos ver, dizem respeito a uma data.

    Baseando-se no ano do nascimento de Cristão Rosacruz, em 1378, segundo a Fama Fraternitatis, que deu origem ao "calendário rosacruz", Bach revela, muitos anos antes, o dia, mês e ano da sua própria morte. Encontramos o dia e o mês na obra Magnificat, envolvidos pelo valor numérico das palavras acima referidas.

    Nesta peça, para coro, solistas e orquestra, o coro (Fecit Potencian) tem particular importância. Ocupa 28 compassos em tempo rápido (o texto começa por Fecit Potencian...) e mais 7 em tempo lento (o texto começa por Mentecordis sui...). A soma de todos os compassos da peça é 579, assim dispostos:


    302
    28 + 7
    242
    544 + 28 + 7 = 579


    Temos, assim, o dia (28) e o mês: Julho (7).

    Se analisarmos agora as 3 últimas trio-sonatas para órgão, vemos que:

    A sonata nº 4, tem 207 compassos;
    A sonata nº 5, tem 372 compassos, e
    A sonata nº 6 tem 337 compassos.

    A soma dos compassos da quarta e da sexta é 544! A sonata número 5 tem 372. É a sonata-chave para determinar o ano, porque tinha inicialmente 155 compassos , com valor numérico igual ao da palavra Rosacruz (Rosenkreutz).

    Bach viria a falecer, portanto, no ano 372 do calendário rosacruciano, que se inicia no ano do nascimento de Christian Rosenkreutz: 1765 do calendário gregoriano, ou sejam 1378+372.

    Perante tão interessante revelação, resta-nos agradecer, como ª Plussihem ao conhecido compositor Félix Mendelsohn, por ter "redescoberto" Bach em 1829, 79 anos depois do falecimento do genial arquitecto da música, já então quase esquecido, e "encontrar a sepultura do Irmão J. S. Bach onde bem poderiam estar gravadas as palavras "Post LXXIX Anno Patebo".


    Discografia

    Oratória de Natal (BWV 249; Paixão Segundo S. Mateus (BWV 244); Invenções, a duas partes (BWV 772-86); Invenções (Sinfonias) a três partes (BWV 787-801); Magnificat (BWV 243a).





    PESQUISAR EM LEVIR.COM.BR

    GLOSSÁRIO
    TEOSÓFICO
    HOME TEOSOFIA PALESTRAS ASTROLOGIA NUMEROLOGIA MAÇONARIA CRISTIANISMO ESOTERICA.FM MEMBROS
    WWW.LEVIR.COM.BR © 1996-2019 - LOJA ESOTÉRICA VIRTUAL - FALE CONOSCO: levir@levir.com.br - whatsapp: 11-984754717