LEVI.COM.BR - PAG.PRINCIPAL
CLIQUE AQUI PARA SE ASSOCIAR!
CLIQUE
AQUI
PARA SE
ASSOCIAR!
HOME TEOSOFIA PALESTRAS LIVRARIA ASTROLOGIA NUMEROLOGIA MAÇONARIA CRISTIANISMO ESOTERICA.FM MEMBROS



A ESOTERICA.FM É PATROCINADA
PELOS ASSOCIADOS DA LEVIR

  • ESOTERICA.FM
  • TEOSOFIA
  • PALESTRAS
  • LIVRARIA
  • ASTROLOGIA
  • NUMEROLOGIA
  • MAÇONARIA
  • CRISTIANISMO
  • TELEMENSAGENS
  • TEXTOS EM INGLÊS
  • MEMBROS
  • INDIQUE-NOS
  • FALE CONOSCO

    LIVROS
    RECOMENDADOS

    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    PEQUENO LIVRO DA FRANCO-MAÇONARIA (O)




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    LUX ESOTERICA - O CAIBALION




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    PROCURA O CAMINHO




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    AOS QUE CHORAM OS MORTOS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    LUX ESOTERICA - CHAVE DA TEOSOFIA




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    AUTOCULTURA À LUZ DO OCULTISMO




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    O MESTRE PERFEITO E SEUS MISTÉRIOS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    PODER TRANSFORMADOR DO CRISTIANISMO PRIMITIVO,O




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    DO MESTRE SECRETO E SEUS MISTÉRIOS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    LUX ESOTERICA - CHAVE DA TEOSOFIA




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    CÓDIGO DA BÍBLIA (O)




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    OS MESTRES E A SENDA




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    A SABEDORIA OCULTA NA BÍBLIA SAGRADA




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    O INTERESSE HUMANO




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    DO MESTRE SECRETO E SEUS MISTÉRIOS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    12 SEGREDOS SIMPLES DA FELICIDADE




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    LUX ESOTERICA - CURSO DE ESOTERISMO E TEOSOFIA - NÍVEL 1




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    O MESTRE PERFEITO E SEUS MISTÉRIOS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    ALEGRIA E TRIUNFO




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    LUX ESOTERICA - O SISTEMA SOLAR




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    VOZ DO SILÊNCIO (A)




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    FOTOS DE FADAS




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    TRÊS CAMINHOS PARA A PAZ INTERIOR




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    AUTOCONHECIMENTO




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    INTELIGÊNCIA EMOCIONAL




    CLIQUE PARA ADQUIRIR
    A CIÊNCIA DA MEDITAÇÃO





    VEJA A
    RELAÇÃO
    COMPLETA
    DE LIVROS



    FALE CONOSCO!


    INDIQUE ESTA PÁGINAINDIQUE AQUI
    Indique Esta Página para seus amigos!

  • A Fraternidade do Yucatán

    Annie Besant

    O impulso que deu origem ao espiritismo procedeu, como muitos sabem, da Loja Branca, por mediação de alguns iniciados e discípulos da quarta raça; e precisamente o caráter particular daquele movimento se deveu à intervenção destes agentes. Também conhecem muitos a existência da chamada “Fraternidade do Yucatán” no México, grupo muito importante, que descende em definida sucessão da quarta raça, para manter os métodos de progresso oculto que lhe eram peculiares.

    Têm uma missão especial relacionada com a quarta raça, que compreende a maioria da humanidade existente hoje em nosso globo. Esquecemos muitas vezes este fato, considerando a quinta raça, a que pertencemos, como a principal do mundo, embora não obstante ser hoje a que dirige a evolução, constitui uma minoria da humanidade encarnada, sendo regra geral do progresso que uma minoria esteja à cabeça e que gradualmente os outros vão alcançando seu nível, enquanto adianta a minoria. Do mesmo modo, os indivíduos mais avançados da quinta raça passarão à sexta, e a quinta será no futuro a maioria da humanidade encarnada, assim como a quarta (conforme atualmente acontece com a terceira) será minoria de atrasados do grosso do exército em marcha.

    É, pois, importante o papel que representa na evolução do mundo a “Fraternidade do Yucatán”, correlacionada em particular com a evolução da quarta raça. Seus métodos são mais adequados a esta raça e se distinguem dos que adota a Grande Loja Branca para a evolução da quinta.

    Isto não quer dizer que os membros da Loja Branca não tenham passado pela quarta raça, pois todos passaram por ela; mas agora se servem de corpos de sistema nervoso muito mais delicado e muito diferentes dos daquela, como os corpos dos que encarnaram na decadência da quarta raça, guiados pela Loja Branca de então, e adotaram os métodos adequados para salvar à quinta raça da grande catástrofe da Atlântida, na qual pereceu a maioria da quarta. Não obstante, como dissemos antes, hoje ainda a quarta raça constitui a maioria e a Fraternidade oculta do Yucatán deve cuidar especialmente de sua evolução. Os métodos adotados por esta fraternidade seguem sendo os mesmos do remoto passado, relacionados com o que agora chamamos “psiquismo inferior”, que consta de uma série de fenômenos ocultos tangíveis, pertencentes ao plano físico, de modo que neste mesmo plano se podem ter provas da realidade dos mundos superiores.

    Este tinha sido sempre o objetivo daqueles métodos especiais, mas deles nasceu certa tendência a materializar a religião. Os fiéis mostravam mais interesse pelos fenômenos que pelo aspecto espiritual dos fatos e procuravam provas das coisas espirituais com base em feitos materiais. Por isso se deixaram ditos métodos exclusivamente em mãos de quem os preferia como mais eficazes, enquanto se traçava para a quinta raça um senda mais difícil, embora mais segura, na qual o conhecimento devia adquirir-se em harmonia com a evolução da mente e não com a dos afetos e paixões. Os homens da quinta raça deviam passar pela inteligência à mais elevada intuição, ou, como às vezes se diz, ao “psiquismo superior”.

    Entretanto, quando se viu que também os indivíduos mais adiantados da quinta raça, os que pertenciam ao mundo científico, encaminhavam-se para o grosseiro materialismo, e que o progresso do conhecimento intelectual era muito mais rápido que o da consciência social e moral, reconheceu-se a necessidade de iniciar um novo movimento que pudesse atrair aos materialistas e lhes dar alguma prova tangível no mundo físico, da realidade do mundo invisível (superfísico embora não espiritual). Assim nasceu o movimento espírita, caracterizado no mundo ocidental por fenômenos que se prestavam à indagações físicas, como produção de golpes, movimento rítmico de objetos sólidos, cadeiras, mesas ou qualquer outro objeto que pudesse mover-se com facilidade. Mas adiante houve manifestações de vozes audíveis e depois fenômenos de “materialização” em que indivíduos revestidos de seu corpo astral, depois de ter abandonado temporária ou definitivamente seu corpo físico, tomavam emprestada de outras pessoas, dotadas de constituição especial, parte do corpo etéreo ou também parte do corpo físico, de modo que seus corpos astrais vitalizados e, por assim dizer, condensados por esta espécie de agregado material, podiam fazer-se perceptíveis à vista ordinária.

    Este método, não obstante seus inconvenientes, era o único adequado ao caso, e por isso foi escolhido para afastar a catástrofe da difusão geral da ciência materialista que naquele tempo preponderava na vida intelectual do mundo.

    A “Fraternidade do Yucatán”, para a qual aquele método era familiar desde muito remoto tempo, assumiu a direção deste movimento regenerador. Nos primeiros tempos da Sociedade Teosófica, também seus Mestres se faziam visíveis algumas vezes por este método, e outras vezes falavam ou ensinavam por meio do H. P. Blavatsky, que estava dotada de um corpo extremamente mediúnico, devido à mescla de sangue tártaro da quarta raça, em seu corpo encarnado na Rússia. Durante os anos de instrução que passou sob a guia de um Mestre da Loja maçônica Branca, que a fez chegar a um muito alto grau de conhecimento e de poder, aprendeu o modo de utilizar seu corpo dominando-o de maneira que ninguém pudesse valer-se dele, exceto os que ela consentia.

    Precisamente esta combinação de um corpo mediúnico com grande conhecimento oculto fez da senhora Blavatsky um personagem tão enigmático para seus contemporâneos, e que (como disse dela um Mestre) dava-lhe o caráter “da mais maravilhosa individualidade psíquica nascida em dois séculos”. Seu gradual desenvolvimento bem dirigido e com seus altos poderes pôde ser utilizado pelos Mestres como médium no mundo físico.

    As pessoas de natureza sensitiva necessitam uma disciplina bem dirigida, porque, se deixadas abandonadas a si mesmas e sem o necessário conhecimento, não podem proteger-se nem escolher a entidade a quem consentir o uso de seu corpo. Antigamente essas pessoas estavam protegidas pelos sacerdotes dos templos, e eram as sibilas e as vestais da religião pagã. Então se cuidava escrupulosamente de que não tivessem contato com o mundo externo e só muito poucos podiam aproximar-se delas. Mas quando os sensitivos nascem em um mundo ignorante do ocultismo, expostos a todas as dificuldades inerentes à falta de amparo externo, convertem-se nos médiuns ordinários de nossos dias, absolutamente incapazes de proteger-se por si próprios.

    Estão expostos a toda influência do mundo astral e etéreo, e por isso com grande facilidade ficam em contato com desencarnados de pouca elevação espiritual e com a massa de entidades ordinárias e medíocres que povoam os sub-planos inferiores do mundo astral.

    Enquanto alguns Mestres da “Fraternidade do Yucatán” guiavam cuidadosamente a seus discípulos especiais, a fim de dar por seu meio ensinos de ordem elevada, muitos médiuns estavam completamente abandonados a si mesmos, salvo o caso de que algum desencarnado bem disposto, atraído para eles por alguma boa qualidade, os protegesse até certo ponto, impedindo o acesso das malignas influências de seres do mundo astral inferior.

    Em nossos dias o materialismo não é tão potente como nos primeiros tempos do movimento espírita, quando a maioria dos chamados “guias” mediúnicos eram índios da América do Norte. Isto caracterizou a primeira fase do espiritismo, e ocorreu primeiro nos Estados Unidos, onde abundavam os indivíduos aptos para este uso. Vemos, com efeito, que serviam de “guia” aos primeiros “médiuns” muitos peles-vermelhas desencarnados, que muitas vezes tinham nomes estranhos como; “Raio de sol” e outros pelo estilo; e quando se materializavam, apareciam em sua figura característica. Muitas vezes eram meninos ou meninas.

    Houve depois uma série de manifestações de não já peles-vermelhas mas sim de gente do mesmo estilo, cujas comunicações demonstravam ignorância e pouca elevação. Com estas comunicações grosseiras se mesclavam às vezes algumas de grande valor, provenientes de algum membro da “Fraternidade do Yucatán”, ou também em raras ocasiões, da Loja Branca. O caso do Stainton Moses é um exemplo destas raras exceções.  Era este homem de grande inteligência, de espírito crítico e indagador e sempre cheio de dúvidas, distinto portanto dos médiuns ordinários, que devem ser sempre passivos. Por causa de sua alta intelectualidade pôde servir para manifestações elevadas, e alguns ensinos dados por seu meio são muito apreciadas. Por alguns outros médiuns americanos chegaram ao mundo ensinos muito formosos.

    Pode-se dizer que em conjunto as mensagens que vieram ao mundo por este método foram de muita formas de utilidade e importância.  O valor real do espiritismo foi dar provas tangíveis da vida post mortem, por isso homens como Sir William Crookes puderam em seus próprios laboratórios e aplicando os mais escrupulosos métodos de indagação científica, obter provas positivas de seres estranhos à existência física. Consultando os relatos do Crookes se vê com quanta sagacidade científica levou a cabo suas investigações, descobrindo uma modalidade especial de luz, que, a diferença da luz ordinária, não desintegra os corpos “materializados”.

    Também descobriu o procedimento de pesar os corpos materializados, etc. Ainda empregam estes procedimentos na França e na Itália os que se dedicam às ciências psíquicas, que se converteram do materialismo ao espiritismo, embora não queiram se chamar “espíritas” pela aversão que têm a este nome. Entretanto, publicaram sérios e interessantes relatos de suas investigações, e entre eles se contam Richet e De Rochas na França (os dois muito influenciados pela Teosofia) e Lombroso na Itália, que obteve uma série muito notável de provas em sessões mediúnicas. Estas provas dadas por eminentes cientistas deveriam bastar para convencer aos intelectuais se tomassem o trabalho de as examinar; mas geralmente os cientistas não se dignam fazê-lo. A Royal Society de Londres segue negando toda validade às indagações de Crookes, ao ponto que este correu o risco de expulsão por ser um supersticioso e dedicado a investigações ilícitas. De qualquer forma publicou o relatório das provas obtidas cuja validade segue sustentando ainda hoje; e Sir Oliver Lodge seguiu, até certo ponto, os rastros de Crookes. Enquanto o espiritismo seguiu a direção que lhe tinha atribuído, emprestou muito bons serviços que ainda subsistem, porque, além de toda questão de valor moral ou de desenvolvimento espiritual, é o único método que oferece provas físicas de feitos superfísicos. Quem se dita a seguir seus métodos pode obter, como em qualquer ciência ordinária, as provas desejadas, conforme efetuaram muitos cientistas, entre eles o já mencionado Sir Oliver Lodge, o qual recentemente publicou uma notável obra intitulada “Raymond”, em que as comunicações de um filho dele, morto em uma das batalhas da atual guerra(1), provaram-lhe a existência post mortem.

    É muito natural que se apresentem nestes tempos numerosas possibilidades para estas investigações. Milhares e milhares de jovens deixam a vida terrena no pleno vigor de sua idade e não podem adentrar rapidamente ao mundo devacanico. Como se sabe, a morte repentina engendra por si um carma especial e além disso as condições do mundo astral estão agora grandemente modificadas pela irrupção súbita de tantas almas que não seguem a regra geral (embora verdadeiramente tivesse sido melhor para elas, a não ser que não tivessem alcançado um alto grau de desenvolvimento) ou seja de passar por um período de inconsciência e recolher todas as experiências úteis de sua vida para as levar consigo ao devacan e ali as transmutar em novas faculdades. Contrariamente, agora também as pessoas que morrem normalmente ficam detidas no plano astral para realizar trabalhos especiais. Muitíssimos (também entre vós que me escutais) não passarão à vida devacanica (pelo menos se deixarem a terra dentro de poucos anos) e preferirão voltar em seguida para a terra para encontrar-se com o Senhor Maitreya quando vier, ou para cooperar ao imenso trabalho que terá que levar-se a cabo quando Ele deixar o mundo nas condições por Ele estabelecidas, mas que terão que ser fortalecidas e cada vez mais amplificadas.

    Aparecido em “The Theosophist” de Maio de 1917, e traduzido para “O lótus Branco”, de Março 1918, por Atilio Bruschetti.

    Notas

    (1) Este artigo foi escrito durante a Primeira guerra mundial.


    PESQUISAR EM LEVIR.COM.BR

    GLOSSÁRIO
    TEOSÓFICO
    HOME TEOSOFIA PALESTRAS LIVRARIA ASTROLOGIA NUMEROLOGIA MAÇONARIA CRISTIANISMO ESOTERICA.FM MEMBROS
    WWW.LEVIR.COM.BR © 1996-2018 - LOJA ESOTÉRICA VIRTUAL - FALE CONOSCO: levir@levir.com.br - whatsapp: 11-984754717